Soft Skills: as habilidades do futuro

Você sabe o que são soft skills? Se não, chegou o momento de entender o que o termo significa e por que elas são importantes para a sua vida profissional. E, caso você já tenha ouvido falar delas, que tal relembrar o conceito?

Hard skills x Soft skills

Nossas competências podem ser divididas em duas categorias. A primeira delas é a das hard skills, que são mais tradicionalmente conhecidas, e englobam habilidades que podem ser medidas de maneira objetiva.

Idiomas, conhecimento a respeito de diferentes softwares e, claro, formações técnicas e universitárias são alguns exemplos de hard skills. A eles se somam participações em eventos, palestras, congressos e outras atividades dedicadas ao aprimoramento profissional.

Mas e as soft skills? Bem, elas são competências ligadas a aspectos comportamentais e, portanto, mais subjetivas e difíceis de mensurar numa simples análise de currículo ou LinkedIn.

As soft skills aparecem mais comumente em conversas, no dia a dia, na maneira como lidamos com nós mesmos, com as outras pessoas e, também, quando surgem problemas inesperados. Por isso, elas são comumente associadas à inteligência emocional, que é, por sua vez, uma soft skill em si mesma.

Apesar dessas competências estarem intimamente ligadas à personalidade de cada pessoa, a boa notícia é que elas também podem ser aprendidas e desenvolvidas ao longo do tempo. Além disso, diferentes áreas profissionais demandam soft skills distintas.

Por exemplo, uma pessoa que trabalha no departamento de Recursos Humanos precisará ser muito mais capaz de exercer empatia do que um designer gráfico.

Soft skills para líderes

Agora que você já sabe o que são soft skills, que tal se aprofundar em três das mais importantes para quem quer ocupar cargos de liderança no futuro? Estamos falando das seguintes competências: conduzir uma comunicação aberta e assertiva, colocar o cliente no centro e o foco nos resultados.

Comunicação aberta

Trata-se da competência para comunicar ideias, metas, feedbacks e orientações de forma clara, construtiva e transparente. Para isso, é necessário conhecer nitidamente os valores e objetivos da organização. Abrir espaço para o diálogo, ser capaz de ouvir e considerar as opiniões das outras pessoas com respeito também são atitudes fundamentais para uma comunicação mais assertiva e eficaz.

Foco no cliente

Como sabemos, a experiência do cliente é decisiva para os negócios. Assim, é preciso conhecê-lo profundamente para conduzi-la com excelência, o que torna a empatia um aspecto bem importante do processo. Quando entendemos as dores e expectativas dos nossos clientes, fica mais fácil negociar e traçar as estratégias mais adequadas às necessidades deles.

Foco no resultado

Determinação, resiliência e inteligência para lidar com os desafios. Tudo isso faz diferença quando estamos em busca dos melhores resultados. Mas eles nunca podem ser alcançados se um líder agir sozinho. Ele depende da sua equipe e, então, deve ser capaz de incentivá-la, sem deixar de lado um olhar atento para o que pode ser melhorado.

O que aprendemos?

Como você pode perceber, comunicação aberta, foco no cliente e nos resultados são competências complementares. Elas se baseiam no diálogo, na empatia e na resiliência necessárias para conciliar as expectativas da empresa, dos clientes e times.

E essas são as três principais competências que a Ardagh Group mais busca em seus colaboradores. Agora que você já entendeu como elas funcionam, que tal se inscrever no Programa Crescer, o programa de estágio da Ardagh? Corra, que o prazo de inscrição está acabando!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest